” Manassés ” O “esquecido”, nome que vem gerando polêmica nas redes sociais

136

A legalidade e finalidade devem andar juntas na conduta de qualquer servidor público, para o alcance da moralidade.

Recentemente nas redes sociais, uma polêmica vem gerando insatisfação aos  internautas da cidade de Lauro de Freitas, os internautas fazem reclamações a respeito da associação e veiculação da logomarca da Instituição Social que aparece no material, de divulgação das ações da secretaria comandada por ⁠⁠⁠Felipe Magalhães Novais, filho do Deputado que representa a instituição ” Manassés”.

Não sabemos se a Instituição é parceira da prefeitura nos eventos, porém mesmo que seja acredito que não é moral, que a marca apareça, pois o secretário é filho do Deputado que comanda a instituição. E por via transversa e indireta faz uma promoção pessoal violando o Art. 37 da Constituição Federal. Disse um dos internautas

O que diz o artigo 37 da Constituição Federal

Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

§ 1º – A publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos.

Princípio da Moralidade:

Esse princípio tem a junção de Legalidade com Finalidade, resultando em Moralidade. Ou seja, o administrador deve trabalhar com bases éticas na administração, lembrando que não pode ser limitada na distinção de bem ou mal. Não se deve visar apenas esses dois aspectos, adicionando a ideia de que o fim é sempre será o bem comum. A legalidade e finalidade devem andar juntas na conduta de qualquer servidor público, para o alcance da moralidade.

⁠⁠⁠Princípio da Impessoalidade:

A imagem de administrador público não deve ser identificada quando a Administração Pública estiver atuando. Outro fator é que o administrador não pode fazer sua própria promoção, tendo em vista seu cargo, pois esse atua em nome do interesse público. E mais, ao representante público é proibido o privilégio de pessoas específicas. Todos devem ser tratados de forma igual.

Recentemente circula nas redes sociais um vídeo, onde o secretário da Juventude de Lauro de Freitas vive a rotina de um cadeirante no centro da cidade. Um gesto plausível por entender que se faz necessário a todos, conhecer as dificuldades que um cadeirante tem em nossa cidade, porém aparece no vídeo por um tempo integral e de formar bem estampada o nome da Instituição, e no mesmo vídeo o nome da Secretária da Juventude e do Departamento municipal, pasmem que é  por alguns segundos e  já no final.” Quase que despercebido”. Disse Claudio

 

Redação da Burburinho News

 

Comentários
Loading...