A sociedade civil organizada avança

0 52

por Hendrik Aquino*

A equipe do Burburinho News tem feito um trabalho muito bom, dentro da proposta que decidiram atuar e sem custar nenhum centavo para os cofres públicos. Acolhe, comenta e torna pública denúncias, propondo prazos para as soluções além de disponibilizar o canal de comunicação, tanto para o poder público como para toda a população.

A AMOVA – Associação de Moradores de Vilas do Atlântico, entrou com ação popular na justiça quanto a questão do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) de Lauro de Freitas e a Associação Comercial de Lauro de Freitas – ACLF, também optou pela mesma linha, expondo divergências sobre o IPTU e sobre o Plano Diretor de Desenvolvimento Municipal (PDDM), aprovado em 2018.

Embora a gestora tenha uma boa vivência com os movimentos sociais, a gestão demonstra não conseguir manter o entendimento com a sociedade organizada ao passo que as insatisfações vão aumentando e novos grupos vão surgindo e ganhando força.

Tais grupos, necessariamente, não são oposição a gestão mas sim, divergem de questões pontuais, diante a demora ou ausência de providências.

A Salva – Sociedade dos Amigos do Loteamento Vilas do Atlântico, recorreu ao Ministério Público (MP) após diversas tentativas de diálogo com a gestão municipal.

Com a AMOM – Associação de Moradores do Miragem, aconteceu o mesmo. Recentemente a prefeitura acatou uma proposta quanto a reverter recursos de contrapartida de obras da iniciativa privada e realizadas no Miragem, para destinação no próprio loteamento. Uma vitória que, para acontecer, também precisou que a entidade recorresse ao MP.
Moradores do loteamento Miragem contam ainda com o blog Miragem News reforçando, tanto a comunicação da AMOM como de outras entidades, ampliando o poder das já consolidadas redes sociais.

Além de divergências quanto o IPTU e o PDDM, a poluição sonora e a manutenção da cidade, são frequentemente questionadas. A fiscalização, tanto por parte da prefeitura, como da câmara de vereadores é temerária, sobretudo, quando considerada a receita de ambos, fruto de tributos arrecadados dos contribuintes em um momento de crises, financeira, política e, principalmente, da crise de representatividade do poder público, ainda muito pouco comentada porém, sentida, há bastante tempo e por uma grande maioria que expõe abertamente sua desconfiança daqueles que deveriam defender os interesses coletivos.

Há, em Lauro de Freitas, entidades não governamentais envolvidas com atividades ambientais, culturais, esportivas e diversos outros temas, demonstrando uma mudança de comportamento que vem estimulando a participação de interessados em iniciativas mais efetivas.

Estamos no início do mês de abril e, com este ritmo crescente de engajamento, teremos, ainda este ano, muitas ações e reações que influenciarão positivamente as eleições municipais de 2020.

Lauro de Feitas é o segundo município em densidade demográfica do Estado e precisa dar um salto qualitativo para aproveitar melhor a sua localização geográfica, o potencial turístico, os recursos naturais e públicos que aparentam não serem bem utilizados. Não podemos mais nos permitir distrair com nomes, slogans, siglas, marcas ou embalagens. Precisamos focar em propostas e projetos. É no conteúdo que está a nossa salvação.

* Hendrik Aquino é designer, jornalista e especialista em Planejamento Urbano e Gestão de Cidades. | hendrikaquino@gmail.com

Comentários
Loading...